Agentes Comunitários de Saúde recebem capacitação sobre Leishimaniose

Do(a) Secom - PMM Publicado em 25/07/2019 às 11:50

Agentes Comunitários de Saúde recebem capacitação sobre Leishimaniose

Na manhã desta quarta-feira, os Agentes Comunitários de Saúde do município de Monteiro estiveram reunidos para receber uma capacitação sobre Leishimaniose com o médico veterinário Dr. Ricardo Morato.

O trabalho está sendo feito com a Secretaria de Saúde, Vigilância em Saúde e Atenção Básica com o intuito de orientar e identificar, e em caso de suspeitas, o encaminhamento para as devidas providências como a realização de exames.

A capacitação tem como objetivo gerar competências técnicas para o diagnóstico precoce e o tratamento adequado da leishmaniose visceral e tegumentar contribuindo para a melhoria da atenção à população acometida por essas doenças.

A Leishmaniose Visceral (LV) é uma doença causada por um protozoário da espécie Leishmania chagasi. O ciclo evolutivo apresenta duas formas: amastigota, que é obrigatoriamente parasita intracelular em mamíferos, e promastigota, presente no tubo digestivo do inseto transmissor. É conhecida como calazar, esplenomegalia tropical e febre dundun.

A Leishmaniose Visceral é uma zoonose de evolução crônica, com acometimento sistêmico e, se não tratada, pode levar a óbito até 90% dos casos.

 Como a Leishmaniose Visceral é transmitida?

A Leishmaniose Visceral é transmitida por meio da picada de insetos conhecidos popularmente como mosquito palha, asa-dura, tatuquiras, birigui, dentre outros. Estes insetos são pequenos e têm como características a coloração amarelada ou de cor palha e, em posição de repouso, suas asas permanecem eretas e semiabertas.

A transmissão acontece quando fêmeas infectadas picam cães ou outros animais infectados, e depois picam o homem, transmitindo o protozoário Leishmania chagasi, causador da Leishmaniose Visceral.

 

 

Tempo
Monteiro - PB
Mín 20ºC
27º
Máx 35ºC
Parcialmente nublado

Mais Lidas