Portal atualizado em: 8 de dezembro de 2022 às 16:54h

Helenas: População prestigia mais uma ação da Programação em Comemoração aos 150 anos de Monteiro

Início Helenas: População prestigia mais uma ação da Programação em Comemoração aos 150 anos de Monteiro

Helenas: População prestigia mais uma ação da Programação em Comemoração aos 150 anos de Monteiro

Autor: Comunicação

Helenas: População prestigia mais uma ação da Programação em Comemoração aos 150 anos de Monteiro

O mais recente trabalho do Coletivo Alfenim, o espetáculo infantojuvenil Helenas, com dramaturgia de Márcio Marciano e direção de Paula Coelho, é inspirado no livro “Minha Vida de Menina: os Diários de Helena Morley”, pseudônimo de Maria Caldeira Brandt, que viveu em Diamantina (Minas Gerais). A peça foi encenada no Teatro Municipal Jansen Filho, levando […]

14/06/2022 10h54 Atualizado há 6 meses atrás

O mais recente trabalho do Coletivo Alfenim, o espetáculo infantojuvenil Helenas, com dramaturgia de Márcio Marciano e direção de Paula Coelho, é inspirado no livro “Minha Vida de Menina: os Diários de Helena Morley”, pseudônimo de Maria Caldeira Brandt, que viveu em Diamantina (Minas Gerais).

A peça foi encenada no Teatro Municipal Jansen Filho, levando uma plateia mista de todas as idades para mais uma atração da Programação em Comemoração aos 150 anos de Monteiro.

“Este é mais um momento oferecido pela Prefeitura de Monteiro à população. Estamos ocupando todos os nossos espaços nestas comemorações, e nada melhor que levar entretenimento em um dos símbolos mais importantes da cidade”, comentou a secretária de Cultura, Christianne Leal.

As Helenas
O espetáculo retrata impressões registradas no diário de uma adolescente entre seus treze e quinze anos de idade que viveu no final do Século XIX. Apesar de tratarem-se de acontecimentos de infância vividos em um ambiente rural em vias de urbanização, o encantamento e a ironia com que a menina Helena descreve suas descobertas confere à narrativa uma extrema atualidade.
Raça, gênero, crença, educação, bem como o lugar da mulher em uma sociedade patriarcal, são tratados a partir do olhar – ao mesmo tempo inocente e desafiador – de uma menina que não se prende a regras ou estereótipos. O elenco é formado por Edson Albuquerque, Mayra Ferreira, Murilo Franco e Vítor Blam.

Sobre o Coletivo de Teatro Alfenim
O Coletivo de Teatro Alfenim surgiu em maio de 2006, em João Pessoa (PB), por iniciativa do dramaturgo e diretor paulistano Márcio Marciano. O grupo desenvolve estudos para a criação de dramaturgias próprias com base em temas brasileiros. Em paralelo às montagens, organiza eventos como seminários, oficinas e debates abertos sobre os temas da pesquisa, tendo em vista a formação de platéia. Suas atividades formativas, bem como as temporadas de repertório, acontecem na Casa Amarela, a sede do grupo na cidade de João Pessoa.

As peças que fazem parte do repertório da companhia são Helenas (2018), Memórias de um Cão (2015), Brevidades (2013), O Deus da Fortuna (2011), Milagre Brasileiro (2010), História de Sem Réis (2010) e Quebra-Quilos (2007).